Country websites:

"Como é que pedimos a alguém para salvar uma vida?"

Como Diretora Clínica do centro de diálise Fresenius Medical Care em Parsippany, Nova Jersey, Barbara Miller sabe melhor que ninguém sobre a esperança e os desafios que os doentes renais enfrentam enquanto aguardam por um transplante. Ela não estava preparada para a alegria e gratidão que sentiu quando decidiu tornar-se um doador vivo. A Fresenius Medical Care Foundation visa incentivar cada vez mais pessoas a apoiar estes processos de mudança de vida.

Quando seu neto Danny nasceu com doença renal, em janeiro de 2010, Barbara Miller trabalhava como enfermeira numa unidade diálise, repentinamente os cuidados que prestava de forma profissional, mas também muito humana e compassiva, assumiram um significado profundamente pessoal.

O neto dela precisava de cuidados 24 horas e passou os primeiros cinco meses de vida num hospital antes de finalmente ser autorizado a vir para casa.

O tormento pelo que o seu neto recém-nascido estava a passar inspirou Miller, Diretora Clínica do centro de diálise da Fresenius Medical Care em Parsippany, Nova Jersey, a voluntariar-se como doador vivo para o novo membro da sua família. "Assistir à luta de Danny foi definitivamente o catalisador", recorda-se ela.

Barbara Miller e o seu neto
[Translate to Portuguese (Portugal):] A proud grandmother: Miller poses with ten-year-old grandson Danny in the garden outside her home in New Jersey.

O empenho abre muitas portas

[Translate to Portuguese (Portugal):] Barbara Miller and her grandson

"Eu queria devolver algo e compartilhar o bom karma."

 

Barbara Miller
Clinical Manager, Fresenius Medical Care

A lista de espera cresce continuamente

Facilitar os testes a potenciais doadores

A primeira bolsa atribuída pela Fundação foi para a Donate Life America (DLA), uma organização sem fins lucrativos dos EUA cujo objetivo é aumentar a doação de órgãos, criar o primeiro registro nacional e universal de doadores vivos, programado para entrar em funcionamento nos EUA em 2020. O registo pretende ser um núcleo para qualquer pessoa interessada em tornar-se um doador vivo. Como tal, este procedimento iria complementar o atualmente utilizado pelos centros de transplante e pelas redes hospitalares em todo o país, o que exige que potenciais doadores reservem tempo para deslocar-se até um local escolhido para consultas e testes iniciais.

 

Com o apoio financeiro da Fundação, o DLA também criará um kit para testes em casa, de fácil utilização, para potenciais, doadores vivos, que deve ser lançado ao mesmo tempo que o registo. A partir de uma amostra de saliva, processo semelhante ao tipo de testes já postos em prática por outras empresas de investigação, o kit foi pensado para facultar uma triagem rápida e de fácil leitura para qualquer utilizador. Os kits serão distribuídos a doentes, familiares e respetivos amigos. Depois de realizado o teste este é enviado, os resultados podem ser convertidos numa possível compatibilidade, de forma eficiente e segura. O kit, vem assim, expandir o leque de potenciais compatibilidades e reduzir o tempo médio de espera para receber um rim. O kit e o registo na base de dados, combinados têm o potencial de duplicar o número de doadores vivos no espaço de um ano, estima Jessie Newman, diretora de relações institucionais da Fresenius Medical Care North America.

Barbara Miller no centro de diálise em Parsippany
[Translate to Portuguese (Portugal):] Passionate and committed: Barbara Miller has worked as a nurse for renal patients for two decades.

Coragem para perguntar

Conteúdo relacionado